Blog

Por que sua empresa precisa de um site?

Atualmente, muitas pessoas se perguntam: Realmente minha empresa precisa de um site? Precisa ter uma presença digital? Ou isso não passa de um modismo passageiro?

Para responder essas questões temos que analisar alguns dados:

– Em seis anos a quantidade de internautas brasileiros aumentou em 143,8%, em 11 anos, o crescimento é de 650%.

– A classe C, cada vez está mais presente no mundo “on-line”.

– Hoje somos mais de 77 milhões de brasileiros conectados por computadores ou laptops, ou seja, sem contar os Smartphones.

–  No Brasil a publicidade na web crescerá 18% por ano, e chegará a US$ 71 bilhões em 2017, segundo projeções.

– O faturamento do e-commerce em 2001 no Brasil era de um pouco mais de 0,5 bilhões de reais. Já em 2012, as vendas do varejo on-line fecharam em mais de 22,5 bilhões de reais, o que da um crescimento de 4.400% no período de 12 anos, a uma média de 30% de crescimento ao ano. E tudo indica que continuaremos crescendo por alguns anos até se estabilizar.


Números como esses, mostram que estamos vivendo uma era de mudanças significativas na forma e no jeito em que consumimos, cada vez mais, precisamos e utilizamos a internet para auxiliar neste consumo, seja para comparar produtos e serviços ou mesmo para comprar mais barato. Enfim, independente da finalidade, a internet vem se tornando a principal fonte de pesquisa e convencimento.

A informação está a um clique. Então, se sua empresa não está on-line para um publico cada vez maior e absoluto, onde ela está? Simplesmente, sua empresa não existe para essas pessoas, por mais difícil que seja encarar essa realidade, é o que se tem a presumir. Outro ponto muito importante que se tem a destacar é: A internet reduz distâncias, certo? Vamos imaginar que uma empresa atua no mesmo segmento que o seu – porém de outra região territorial – mas essa empresa está presente virtualmente, e você não está. Você tem um concorrente em potencial e talvez não saiba disso. Outros fatores que tem que ser levado são: A Qualidade do site/ferramenta e o conteúdo que está fornecendo.

Enfim, eu acredito muito que um site empresarial, é uma poderosa ferramenta, se usada com dedicação e sabedoria. Para mim, o site da sua empresa, e tão importante quanto o seu sistema de CRM, quanto sua logomarca ou quanto seu RH. Sem ele uma parte da sua empresa deixa de existir, com ele, simplesmente não há limites.


Precisa de um site para sua empresa? Talvez possamos lhe ajudar! Entre em contato pelo (16) 3664-3664

Por que minha empresa precisa de um site?

Bom, sabemos que a internet surgiu aqui no Brasil para usuários domésticos por volta de 1995, tudo bem, era uma área exclusivista onde somente uma pequena parte da população tinha acesso, ok não vamos discutir isso.

Mas de lá pra cá, sofremos mais que uma mudança, praticamente nascemos de novo no quesito “modo de viver”. Se formos comparar a influência que a internet/tecnologia tinha em 95, com hoje 2014 (#vamosbrasil #neymar10) é incompreensível tal mudança, nem o mais entendido da área na época poderia prever tanta mudança. Quando a internet nasceu comercialmente no Brasil, em seu primeiro ano, tínhamos um pouco mais de 1.000.000 de usuários, hoje já ultrapassamos os 105.000.000 de usuários na WEB, isso mesmo, mais da metade da população brasileira está na  Internet, e essa estatística cresce em números bastante expressivos a cada ano. Tá bom, tá bom, vou tentar responder a pergunta: Mas o que isso tem a ver com minha empresa?

Bom, se eu tivesse uma empresa certamente eu queria estar onde eu posso alcançar metade da população Brasileira. Você não? E se eu te contar que esse não é o principal motivo? Se eu te falar que um bom motivo é que as pessoas cada vez mais usam a internet para responder suas questões cotidianas, inclusive, perguntas sobre consumo. Você mudaria seu modo de pensar? Ainda Não?! Tá bom, e se houver uma grande possibilidade de seus concorrentes estarem na internet? Estudos apontam que existam mais de 3.000.000 de registros “.br” no Brasil, e isso cresce cada vez mais.

Só para complementar essas questões, na minha humilde simples opinião, os motivos principais para uma empresa ter que estar presente na internet, é que ela pode reduzir custos, maximizar lucros, simplesmente pelo fato de ser inteligente, hoje você consegue ter resultados full time de seus investimentos.

Enfim, o que eu gostaria de apontar com esses dados? Simplesmente que a internet está se tornando o principal meio de comunicação comercial no Brasil e no Mundo, mesmo meios comuns da comunicação (TV, RÁDIO) já utilizam a internet como apoio para seu modelo de negócio. Estar presente na internet é uma necessidade, por que não fazer dessa necessidade um caminho para bons negócios?! Pense nisso….

Por: Aldair Fernando Delize

WhatsApp: sete recursos que você provavelmente não conhece no aplicativo

Você pode até ser um usuário assíduo do WhatsApp, mas certamente ficará surpreso ao conhecer algumas das dicas que listamos abaixo. Elas podem ajudá-lo a usar o aplicativo de forma mais conveniente, evitando brigas e contratempos.

 

Acompanhe abaixo as dicas de uso do WhatsApp:

 

1 – Dá para usar o WhatsApp no seu computador (saiba como)

O aplicativo ainda não tem uma versão oficial para PC. Mas é possível instalar o WhatsApp no computador por meio de um emulador de Android (programa que simula a tela do celular dentro do Windows). Há, no entanto, uma limitação: o WhatsApp não permite o uso simultâneo de uma conta (número de telefone) no PC e no celular. Então, você só vai conseguir usar a conta em um dispositivo por vez

2 – As setas verdes não indicam que pessoa leu a mensagem (entenda)

Muita gente pensa que as setinhas verdes significam que a mensagem foi lida pelo destinatário, quando na verdade elas indicam apenas que o texto foi entregue ao celular dele. Quantos desentendimentos e cobranças em vão já devem ter ocorrido entre namorados, amigos e parentes por algo tão pequeno (e erroneamente interpretado).

3 – Dá para impedir que fotos enviadas por amigos sejam salvas no celular (saiba como)

O aplicativo salva automaticamente no celular as fotos e vídeos que o usuário recebe dos contatos e visualiza na tela – algo que pode causar constrangimentos e mal-entendidos, dependendo do tipo de conteúdo. Mas, com alguns ajustes nas configurações, é possível optar por não baixar esses arquivos no smartphone.

4 – Conversas e arquivos do WhatsApp podem ser enviados por e-mail (saiba como)

Se você quer guardar conversas e imagens, pode enviá-las facilmente para o seu e-mail — ou até para outros destinatários. A opção fica nas configurações da conversa. No iPhone, basta acessar a lista de conversas, deslizar o dedo naquela desejada e selecionar Mais para ver a opção. No Android, basta tocar no botão dos três quadrados (preferências gerais).

5 – Quem usa Android também pode desabilitar a exibição do ‘visto por último’ (saiba como)

Até há pouco tempo, a opção de esconder dos destinatários o último horário em que o WhatsApp foi acessado estava disponível só para iPhone. Mas usuários do Android agora podem usá-la também (a partir da versão 2.11.186 do aplicativo). Outra opção é deixar o horário visível só para os próprios contatos (em vez de para qualquer um no WhatsApp).

6 – Você pode tentar recuperar conversas apagadas (entenda)

Para quem às vezes apaga sem querer conversas, um método alternativo (mas não infalível) pode ajudar a recuperar as mensagens. Isso porque o aplicativo realiza automaticamente, a cada 24 horas, um backup das conversas. Se você desinstalar e instalar o WhatsApp nessa janela de 24 horas, há grandes chances de recuperar o que apagou. Depois do período, o método não funciona.

7 – Aplicativos de senha para WhatsApp só funcionam para Android (entenda)

Os aplicativos que bloqueiam com senha o acesso de curiosos ao WhatsApp estão entre os mais baixados. Além da senha nativa no smartphone para travar a tela, eles inserem um segundo código. Assim, namoradas, parentes e amigos não conseguem entrar no aplicativo. Mas, por enquanto, só aplicativos para Android funcionam. As opções para iOS não cumprem o prometido.

Retirado do site: tecnologia.uol.com.br

Selfie – A nova moda

selfie

A grande sensação do momento é o selfie, um tipo de auto-retrato que tomou conta da internet e das redes sociais. A palavra selfie vem do inglês e já foi adicionada ao dicionário Oxford, o mais importante da língua inglesa.

Selfie é uma fotografia que alguém tira de si mesmo. Para tirar essas fotos  tão populares, os jovens usam smartphones ou webcam. Em seguida, vem a publicação do retrato na rede social preferida em busca de likes e comentários.

O selfie é um verdadeiro fenômeno global. A foto é tirada com o simples movimento de esticar o braço, segurar o celular apontado para o rosto, e depois compartilhar a foto no Instagram ou Facebook. O selfie demonstra um aspecto de autopromoção. Muitos famosos aderiram à moda do selfie.

O selfie é presença constante no mundo digital. Essa tendência mostra a relação entre a tecnologia e o comportamento dos jovens. Os selfies são usados por pessoas exibicionistas, pessoas que querem mostrar seu estado de espírito e pessoas que querem mostrar um lugar.

Segundo estudos, os selfies são mais produzidos por jovens com idades entre 13 e 24 anos. O primeiro aplicativo de selfie foi criado pelo vietnamita Joshua Nguyen.

Você já deve saber que a expressão “selfie” foi escolhida como a palavra do ano em 2013 e também já deve saber que a gíria foi tão usada que já foi incluída nos mais importantes dicionários do mundo.

Selfie é a fotografia feita de si mesmo, como um autorretrato digital. Geralmente as imagens são bastante simples, mas algumas dicas podem ser valiosas para que você não pague nenhum mico na rede. Confira a lista abaixo:

Evite o flash

Ele geralmente é o inimigo das boas fotos. De perto então pode ser pior ainda: em um selfie, o flash é capaz de deixar qualquer rosto com um aspecto, no mínimo, estranho. Se você não quer que sua pele pareça mais oleosa do que ela realmente é, deixe o recurso de lado. Mesmo em ambientes escuros, o melhor é sempre procurar uma luz mais adequada do que apelar para o flash.

Não arrisque: use a câmera frontal

Um dos tipos mais legais de selfies são aquelas que incluem outras pessoas. O problema disso é que, seja na hora de fotografar com amigos ou com alguém famoso que você acabou de conhecer, você pode perder um momento legal ao tentar fazer a imagem com a câmera traseira do seu smartphone.

Na hora da diversão, o melhor é não arriscar: mesmo que você perca em qualidade (as câmeras frontais sempre trazem menos resolução que as traseiras), você não vai deixar de registrar o momento da melhor maneira possível.

Descubra a melhor pose

Sabe quando um artista evita fotografar de certa maneira, pois aquele não é o seu “melhor ângulo”? Não precisa ser famoso para ter esse cuidado: todo mundo tem um ângulo em que se sai melhor. O ideal é, antes de publicar as fotos, encontrar qual é a melhor posição do rosto e do próprio celular para fazer as fotos.

Foto espontaneamente forjada

Na hora de fazer uma selfie, tente ser natural e descontraída. É importante encontrar um bom ângulo, mas não fique travada nele como se fosse um robô. Espontaneidade e descontração sempre caem bem em uma foto de si mesmo.

Pare de fazer bico

Essa é uma dica que serve para a maioria das meninas: o famoso “duck face” (gíria que compara bicos feitos com os lábios e bicos de patos) não é nada bonito de se ver.  Portanto, deixe de fazer biquinho (ou ao menos faça o movimento menos exagerado) e evite pagar mico.

Saia do banheiro!

Nada mais tradicional do que uma selfie… no espelho do banheiro! As variações dela são ainda mais engraçadas, como fotos de óculos escuros, fotos com roupas de praia ou até o look para ir a um casamento. Nada disso combina com o fundo do banheiro da sua casa, certo? Então que tal procurar um lugar mais bonito para sair na foto?

Matéria retirada dos sites: www.canaltech.com.br e SitedeCuriosidades.com

Você sabe o que é energia estática?

Na hora de manusear componentes eletrônicos, é necessário muito cuidado com a energia estática. Trata-se de uma energia que se acumula naturalmente em nossos corpos devido ao atrito com tecidos, como por exemplo: enquanto estamos andando sobre um carpete ou quando saímos do carro, alguns tipos de tecidos possuem a capacidade de acumular mais energia estática que outros.
Quando estamos muito carregados de energia estática, ao encostarmos em outra pessoa também carregada, há um choque.
Essas cargas de energia se descarregam naturalmente quando se toca em uma superfície metálica, em alguns casos gerando um pequeno choque. Ela se torna mais densa em locais onde a umidade do ar é baixa, principalmente em locais com ar condicionado.
Assim, quando uma pessoa com muita energia estática acumulada toca em outra com cargas elétricas diferentes, ocorre o descarregamento dessa energia, originando os pequenos choques.

Quando a pessoa tem contato freqüente com máquinas elétricas, ela fica exposta ao campo magnético da eletricidade, tendo assim um alto acúmulo de energia estática. Esse fato aliado à baixa umidade do ar e ao tipo de material dielétrico do piso pode fazer com que haja um alto acúmulo de energia estática no corpo.

As descargas elétricas ocorrem somente quando corpos de cargas diferentes se encontram, por isso, a sensação de choque é passageira, já que após tocar em uma pessoa e sentir o choque, os corpos se equilibram. A energia estática é produzida até mesmo por um simples arrastar dos pés. Outro fato interessante é que os caminhões de combustível sempre viajam levando uma corrente que fica em contato com o chão, justamente para descarregar e evitar o acúmulo da energia estática, pois senão o caminhão poderia correr um sério risco de explosão.

Para evitar essas pequenas descargas elétricas, profissionais que estão muito expostos a essa energia devem usar pulseiras especiais que descarregam as cargas elétricas com segurança, além de andarem descalços na terra eventualmente e usarem sapatos com materiais eletricamente isolantes.

Essa energia é o suficiente para danificar um componente presente na parte interna do gabinete. .

O melhor jeito para eliminar essa energia, é o uso da pulseira anti-estática. Com ela ligada a uma haste aterrada,  o técnico pode fazer a manutenção dos PCs sem se preocupar em danificar qualquer componente.

Na SamuelMello.com – Soluções em informática, trabalhamos com pulseira anti-estática, para que seu equipamento não seja danificado (foto ao lado).

Quando um técnico sem qualificação toca numa placa do seu computador, sem estar usando a pulseira anti-estática aterrada, ele pode danifica-lo na hora ou um tempo depois, e nem ele e muito menos você saberá que foi por imperícia técnica que isso aconteceu.

Os componentes mais sensíveis à estática são os módulos de memória. O pior neste caso é que o mais comum não é o módulo se queimar completamente, mas sim ficar com alguns poucos endereços danificados, ou seja, ao ser usado, o módulo irá funcionar normalmente, mas o micro ficará instável e travará com frequência, sempre que os endereços defeituosos forem acessados. Se o Windows começar a apresentar telas azuis e travamentos com muita frequência os principais suspeitos são justamente os módulos de memória.

É muito comum comprar módulos de memória danificados em lugares onde os vendedores manuseiam os componentes sem tomar as precauções necessárias, por isso é sempre bom prestar atenção e cuidado para evitar dores de cabeça mais tarde

Cuidado ao baixar programas

Olá amigos. No meu dia a dia de trabalho, encontro muitas pessoas reclamando que o computador quando foi comprado era bom, mas foi ficando lento e fica quase impossível de ser usado. Normalmente usam pra redes sociais, emails, noticiais, um uso bem básico.
Mas aí eu pergunto ao cliente: “Instalou algum programa recentemente?” Eles me respondem: “Meu filho instalou um joguinho!”, “Meu neto instalou um programa pra baixar musicas”, e ai vai.

E ao verificar a máquina, vejo que ela está cheio de barra de tarefas no navegador (Chrome, Internet Explorer), instalou vários programas de diagnósticos que são chatos demais, ficam sempre abrindo a tela, pedindo ativação, a página inicial muda, muitas vezes com imagens impróprias, e o usuário normalmente não consegue tirar, vira um “caos”. O computador fica quase impossível de ser usado.

Normalmente nessa hora somos chamados para resolver esse problema.

Dependendo do tanto de programas instalados, o tempo que se demora desinstalando não compensa para o cliente, então o melhor jeito é formatar e reinstalar todos os programas, claro que antes, fazemos o backup.

Porque formatar? Porque alguns tipos de programas, são como um tumor maligno, que tem ramificações em várias pastas, e mesmo ao desinstalar o programa principal, ele não é retirado completamente, e o usuário ainda ficará insatisfeito.

Minha dica:

Ao procurar um programa para instalar, geralmente a pessoa caí no site do baixaki.com.br, só que intuitivamente, ao achar o programa desejado, ela clica em “download” direto, sem perceber que em embaixo do botão do download, existe uma opção:
– com instalador
– sem instalador

Se você não quiser os transtornos de ter seu computador com um monte de programas que você não quer, sempre escolha a opção: “sem o instalador”.

Caso tenha baixado com instalador, você ainda pode se salvar, desmarcando a instalação dos programas nos passos seguintes.
Fazendo isso, você terá seu computador limpo por mais tempo.

Abraços

Conectado, mas nem tanto…

Essa cena é tão comum na nossa geração.
Hoje somos totalmente conectados com as redes sociais e com tudo que a tecnologia nos proporciona.
Eu sou totalmente a favor do uso da tecnologia, que tanto nos facilita a vida, mas a moderação é bem vinda.
Trabalho com isso há 20 anos, porém tenho visto um agravamento  que está gerando um distanciamento muito grande entre as pessoas hoje em dia.
As conseqüências desse hábito, nós já temos visto. Pessoas totalmente ansiosas, com pressa, nervosas, tudo tem que ser pra ontem, não podem perder tempo.
Se outrora, houve a “geração coca-cola”, hoje temos a “geração fast-food”, ou melhor dizendo, “geração google”.
Totalmente conectados, mas sem contatos pessoais…
Hoje, é interessante quando, em um ambiente onde há algumas pessoas reunidas, quando a internet cai, ou a energia acaba por algum motivo, as pessoas a principio ficam preocupadas, mas enfim conversam, e esse é um dos momentos raros de olho no olho, porque estamos acostumados “facebook to facebook”, e o que mais precisamos é o face to face.
Na minha vida, uma palavra que tenho como referencia é moderação.
Outras conseqüências desses hábitos, ainda não temos como mensurar, mas acredito que em poucos anos as veremos.
Hoje o uso da tecnologia precisa de moderação, para que possamos ainda ter uma vida perto do normal

Samuel Mello